CLÍNICA DE JESUS:  SAÚDE FÍSICA   -  ESPIRITUAL  -  MENTAL  E  FINANCEIRA.                                    JESUS SALVA  -  JESUS CURA  -  JESUS BATIZA NO ESPÍRITO SANTO  -  JESUS ARREBATARÁ A SUA IGREJA

 

Colômbia: Igrejas são ameaçadas por guerrilheiros

Os cristãos no sul da Colômbia estão constantemente ameaçadas por grupos guerrilheiros no país, que os proíbem os serviços de adoração para as áreas rurais sob seu controle.

A Frente 32 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (FARC-EP) lançou uma ofensiva contra os católicos e igrejas evangélicas, no departamento de Putumayo, e é suposto por essa publicidade, 150 igrejas na Colômbia têm sido forçadas a fechar.

Igrejas com a permissão das FARC-EP, para celebrar a missa ou culto evangélico, estão autorizados a realizar serviços religiosos sem medo de represálias, ainda, mas as cidades e aldeias, que não têm esse direito menores.

"Toda vez que meu marido ou outro líder da igreja decide pregar no campo, só posso perguntar: 'Senhor, tome cuidado com a segurança de cada um deles", diz Ortiz Jeanet Pinto, esposa de um evangelista itinerante e radialista Pinto Anjo rádio. "Meu coração está triste ao ver o que está acontecendo ao nosso redor", diz ele.

Anjo Pinto, durante o seu ministério de 25 anos, foi demitido cinco vezes por grupos armados. Por duas vezes ele foi dito que ele deveria ser executado por violar as proibições impostas pelas FARC contra a pregação. Em ambos os casos, os comandantes locais lançou o pastor, uma vez que eles perceberam que ele estava, uma vez que a sua congregação tem um ministério de resgate e cuidado de órfãos de guerra.

"Alguns desses órfãos pertencem a nós, seus pais eram os nossos camaradas de armas", disse Pinto da última vez que você salvou. "Se nós matá-lo, eles não têm ninguém para cuidar deles", diz Pinto.

As FARC mataram centenas de pastores nos últimos anos.

"No manual do comportamento emitido por unidades das FARC na área, eles pediram-nos para fechar nossas igrejas, e eram proibidos de visitar as comunidades periféricas, seja para pregar ou realizar reuniões", diz o monsenhor Luis Alberto Parra, Bispo de Mocoa, em uma entrevista com a imprensa local.

Neste momento, o governo colombiano realizou reuniões de paz com as Farc e Cuba, para chegar a um acordo para resolver o conflito. Eneida Herrera, professor evangélico e Finanças Públicas na Universidade das Américas, lamentou que a igreja sofreu a violência de grupos armados e foram excluídos das conversas em Havana.

"Se as negociações não produzem nada de positivo em Havana , podemos esperar uma maior onda de violência que tem acontecido até agora", disse Herrera. "A Igreja e as comunidades locais são os que têm que vivê-la, seja ele bom ou mau."

Fonte: Mundo Cristiano