CLÍNICA DE JESUS:  SAÚDE FÍSICA   -  ESPIRITUAL  -  MENTAL  E  FINANCEIRA.                                    JESUS SALVA  -  JESUS CURA  -  JESUS BATIZA NO ESPÍRITO SANTO  -  JESUS ARREBATARÁ A SUA IGREJA

 

Ex-polígama mórmon diz que aceitar um marido com outras esposas é viver um adultério dentro de casa

Ex-polígama mórmon, integrante de uma união conjugal com a participação de várias esposas, relatou recentemente que aceitar a união de um marido com várias mulheres é como sofrer com um adultério e ainda ter a amante vindo para sua própria casa.

Marion Munn fazia parte de um casamento plural por dezoito anos, depois de se converter ao fundamentalismo mórmon, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Contudo, mesmo depois de viver tanto tempo sob tais condições, Munn afirma que não estava feliz e agora prefere falar dos riscos do costume.

"Você tem que sorrir e fingir que está tudo bem, porque isso faz parte da cultura. Então, para entrar nela, eu pessoalmente não quero vivê-la, pois me sinto coagida a aceitar algo que eles impõem como uma questão de fé", destacou Munn ao diário britânico Daily Mail.

Em 2013, o estado do Utah, oeste dos EUA, onde boa parte da população é mórmon, decidiu que aumentaria a liberdade para famílias polígamas. Assim, uma deliberação anterior para a coabitação foi derrubada por violar a liberdade de religião.

Como contrapartida ao caso de Munn, Kody Brown, patriarca mórmon, defende que a poligamia é um estilo de vida absolutamente normal e aceitável, se todas as pessoas estiverem de acordo com o que foi pré-estabelecido.

"Apesar de sabermos que muitas pessoas não aprovam as famílias plurais, esta é a nossa forma de viver nossa família, com base em nossas crenças", afirmou Brown com a esperança de que haja um respeito mútuo entre pessoas de outras unidades familiares.

Ao final, Munn coloca outro contraponto, ao ressaltar a discriminação dos mórmons com as mulheres. "Certamente, dentro de uma poligamia baseada nos mórmons, não nos deixa muita escolha, pois as escrituras mórmons ensinam a uma mulher que se ela não consentir a poligamia, Deus vai destruí-la", resume.

Fonte: Christian Post